Focalização é um recurso psicoterapêutico, criado por Eugene T. Gendlin (grande companheiro de Carl Rogers ao longo de muitos anos), durante a pesquisa com pacientes psicóticos, que resultou, entre outras valiosíssimas contribuições, na publicação do livro “The therapeutic relationship and it’s impact a study of psychotherapy with schizophrenics”, editado por Rogers, com a colaboração de Gendlin, em 1967, pela University Press, Wisconsin, USA.

Meditação é um recurso para o desenvolvimento e superação pessoal, é uma prática visando a experiência da transcendência, proveniente do mundo da Espiritualidade, criada por grandes e iluminados mestres e sábios da humanidade.

São dois recursos ou práticas de enorme valia e importância para nossa saúde e nossa vida, bem como para nosso trabalho profissional. Saber utilizá-los é de uma riqueza extraordinária. Há grandes semelhanças e enormes diferenças entre eles e o evento tem por objetivo cotejar um com o outro e contribuir para a compreensão daquilo que os aproxima e daquilo que os distancia, tanto no que se refere à teoria quanto à prática.

O domínio, o manejo e a melhor utilização de ambos depende da correta compreensão de, entre outros, dois importantes e fundamentais conceitos que a eles subjazem e lhes dão sustentação: “Subjetividade” e “Consciência”. Assim, antecedendo a parte prática do Seminário, que nos possibilitará vivenciar ambos os recursos, abordaremos tais conceituações, considerando:

– as que provêm da Psicologia e da Filosofia e que fundamentam as Psicoterapias Humanista/Fenomenológico/Existencial, Sócio-Histórica/Concreta/Dialética, Cognitivo/Comportamental e Psicanalítica;

– a que provém da sabedoria/espiritualidade oriental e que fundamenta a Meditação: Consciência Pura, Consciência Vazia (Vacuidade, tema fundante do Budismo, do Zen-Budismo, do Hinduísmo e do Taoísmo).

Focalização:

“A experiência é de uma riqueza incalculável:

pensamos mais do que podemos dizer,

sentimos mais do que podemos pensar,

vivemos mais do que podemos sentir

…e ainda há muito mais.”

“O Senso Sentido (felt sense), que eu também chamo de limite da consciência, é o centro da personalidade. Ele surge entre a consciência comum da pessoa e o alcance profundo e universal da natureza humana, onde não somos mais nós mesmos. Está aberto ao que vem dessa dimensão universal, mas é sentido como um ‘eu real.”                                                                                                                                                              Eugene T. Gendlin

Meditação:

 “Todos os rios deságuam no oceano, mas o oceano não transborda e em suas profundezas reina imperturbável tranqüilidade – assim é o homem iluminado pelo conhecimento de si mesmo: de todas as partes o invadem as impressões dos sentidos – ele, porém, permanece imóvel e imperturbável.”

Bhagavad Gita, cap. II, vers. 70|


 

Professor:  Walter Andrade Parreira

Data: 24/11/2018

Horário: 9 às 17 horas (com intervalo para almoço)

 

Local: Casa Cordis (clique aqui para acessar o endereço)

Investimento:  R$ 180,00 para inscrições até o dia 15/11 e R$ 220,00 para inscrições após o dia 15.

Inscrição: para realiza-la clique aqui

Será conferido certificado

(não é requerido qualquer conhecimento ou prática anterior com a Focalização ou com a Meditação para participação no evento).