Atenção é FUNDAMENTAL que as pessoas que cuidam também busquem cuidado para si. Veja mais sobre o cuidado para o cuidados na página “Cuidando de quem cuida” (clique aqui)

 

Serviços Públicos de Saúde Mental

Em Belo Horizonte:

 

 CAPS ou Centro de Referência em Saúde Mental

 A rede municipal tem Centros de Referência em Saúde Mental – CERSAMs -, em diferentes regiões, que cobrem toda a cidade. O funcionamento é das 7 às 19 horas, todos os dias da semana, inclusive feriados, e os usuários podem lá permanecer pelo tempo necessário.

 Nos CERSAMs, o tratamento busca a estabilização do quadro clínico, a reconstrução da vida pessoal, o suporte necessário aos familiares, o convívio e a reinserção social. Oferece os atendimentos próprios a cada caso, com a presença constante de equipe multiprofissional, oficinas e atividades de cultura e lazer.

 

  • CERSAM Barreiro – Rua Desembargador Ribeiro da Luz, 29 – Barreiro, telefones 3277-1530 / 5908
  • CERSAM Leste – Rua Perite, 150 – Santa Tereza, telefones 3277-5756/5743 
  • CERSAM Nordeste – Praça Muqui, 191 – Renascença, telefones 3277-6067 / 6065 
  • CERSAM Noroeste – Rua Camarugi, 10 – Padre Eustáquio, telefones 3277-7220 / 7229 / 7216 
  • CERSAM Oeste – Rua Oscar Trompowski, 1325 – Nova Granada, telefones 3277-9601/6488 
  • CERSAM Pampulha – Rua Mel, 77 – Santa Branca, fones 3277-7918/7934 
  • CERSAM Venda Nova – Rua Boa Vista, 228 – São João Batista, telefones 3277-5432/5434 
  • CERSAM AD Barreiro (CERSAM ÁLCOOL E DROGAS) – Avenida Barão de Monte Alto, 211 – Cardoso, telefones 32773630/ 3632/ 3631
  • CERSAM AD Pampulha (CERSAM ÁLCOOL E DROGAS) – Rua Ligúria, 70 – Bandeirantes, telefones 32771574 / 1575 
  • CERSAMI – CERSAM INFANTIL – Rua Camarugi, 10 – Padre Eustáquio, telefones 3277-9279 / 7227 

 

Hospitais Psiquiátricos:

  •  Instituto Raul Soares

O Instituto Raul Soares foi inaugurado em 1922 visando tornar-se modelo em tratamento e pesquisa em saúde mental. Desde então passou por diversas reformas estruturais e terapêuticas, até em 2005 receber a certificação de instituição de pesquisa e ensino. Realiza atendimento psiquiátrico de urgência dia e noite, atendimento ambulatorial(residência de psiquiatria) das 8 às 17 hrs e internação de curta e média duração.

Avenida do Contorno, 3017- Santa Efigênia, Belo Horizonte Tel:(31)  3239-9916

 

  • Hospital Galba Veloso

 Fundado em 1961 o Hospital Galba Veloso, realiza acolhimento e atendimento do sujeito da crise até a estabilização psíquica, assim como articular a continuidade do tratamento na rede de atenção à Saúde Mental do município de Belo Horizonte, região metropolitana e demais cidades do Estado de Minas Gerais, possibilitando a esse sujeito o restabelecimento de seus laços sociais.

 Rua Conde Pereira Carneiro, 364-  Bairro Gameleira – Belo Horizonte Tel: (31) 3319-8900

Centros de Convivência

Atualmente, os 9 Centros de Convivência oferecem oficinas de música, teatro, pintura, marcenaria, costura e várias outras, assim como passeios, idas ao cinema e festas. Para participar é necessário uma indicação de algum profissional responsável, seja psicólogo, psiquiatra, assistente social, terapeuta ocupacional.

 

  • Centro de Convivência Barreiro – Rua Pinheiro Chagas, 252 – Barreiro, fone 3277-5889 
  • Centro de Convivência César Campos (Centro-Sul) – Rua Orenoco, 68 – Cruzeiro, fone 3277-9447 
  • Centro de Convivência Artur Bispo do Rosário (Leste) – Rua Anhanguera, 356 – Horto, fone 3277-5777 
  • Centro de Convivência Oeste – Rua Juscelino Barbosa, 125 – Gameleira, telefone 3277-1543 
  • Centro de Convivência São Paulo (Nordeste) – Rua Aiuruoca, 501 – São Paulo, telefone 3277-6684 
  • Centro de Convivência Carlos Prates (Noroeste) – Rua Camarugi, 10 – Padre Eustáquio, fones 3277-7228 
  • Centro de Convivência Providência (Norte) – Rua Arantina, 375 – Minaslândia, fone 3277-7482 
  • Centro de Convivência Pampulha – Avenida Portugal, 3291 – Santa Branca, fones 3277-7310 
  • Centro de Convivência Venda Nova – Rua São Benedito, 184 – Venda Nova, telefones 3277-5499

 

Moradias protegidas

 

São casas localizadas em diversos bairros da cidade, onde moram portadores de sofrimento mental que permaneceram abandonados em hospitais psiquiátricos e que romperam seus laços sociofamiliares. Além das moradias mantidas pela Secretaria Municipal de Saúde que abrigam os usuários, os que puderem voltar para suas próprias casas e famílias recebem uma bolsa mensal.

 

Agradecemos o auxílio de Daniel Spotorno na criação dessa página.